Buscar
  • Samilla Nunes R. Rodrigues

Como definir metas?



A meta é um importante instrumento para guiar as organizações em suas ações (BOSSIDY; CHARAN, 2004). Contudo a definição das mesmas pode ser um desafio para os gestores ou até mesmo um problema para algumas pessoas que não estejam familiarizadas com este instrumento. Pensando nisso, organizamos para você alguns pontos para auxiliar nesse processo.


O primeiro passo, antes de elencar as metas, é definir os objetivos, os quais traduzem onde você quer chegar, ou seja, são os alvos que se pretende alcançar. Segundo Tavares (2005), esses objetivos podem ser classificados segundo sua abrangência, seu prazo e sua forma.


A abrangência refere-se os objetivos gerais e específicos, sendo os primeiros aqueles que abarcam a organização como um todo, enquanto os específicos são inerentes às áreas da organização. O prazo pode ser curto (inferior a um ano), médio (entre um e cinco anos) ou longo (superior a cinco anos). Por fim, a forma menciona os objetivos enquanto qualitativos e quantitativos, sendo estes passíveis de quantificação e aqueles, por serem de difícil mensuração, necessitam de critérios para avaliação.


Para fins de esclarecimento, seguem exemplos:


Objetivo 1: Aumentar em 30% o resultado financeiro da organização em 6 anos.


Observe que o objetivo 1 é geral, pois refere-se à organização como um todo; é quantitativo, pois conseguimos quantifica-lo; e é de longo prazo, pois está compreendido em um período superior a cinco anos.


Objetivo 2: Aumentar as vendas 5% dentro de 9 meses.


O objetivo 2 é específico, pois refere-se a área de vendas; é quantitativo, pois é quantificável; e é de curto prazo, pois está previsto para um período inferior a 1 ano.


Objetivo 3: Melhorar a qualidade do produto nos próximos 2 anos.


O objetivo 3 é específico, pois está relacionado a área de produção; é qualitativo, pois não é possível quantifica-lo; e é de médio prazo, visto que está compreendido em um período de 1 a 5 anos.


Por se tratar de um objetivo qualitativo, é necessário estabelecer critérios para avaliação do mesmo. Nesse caso, tendo em vista que o objetivo é melhorar a qualidade do produto, o critério para avaliação pode ser o número de reclamações recebidas pela empresa com relação a qualidade de seu produto, permitindo a mensuração do objetivo.


Definidos os objetivos, passamos para as metas. As metas são instrumentos que devem seguir o padrão SMART, sigla vinda do inglês que significa:


Imagem 1: SMART

Fonte: Elaboração própria


Assim, as metas devem ser especificas (specific), ou seja, devem conter o máximo de informação para que fique claro onde quer chegar. Suponha que seu objetivo seja “Aumentar as vendas”, isso é muito vago, é necessário colocar mais informações para que fique mais preciso, como “Aumentar as vendas em 5%”.


É importante ressaltar que o especifico aqui não é o mesmo abordado nos objetivos. Lá referíamos à abrangência, se estava relacionado a organização como um todo ou a alguma área. Aqui estamos falando da riqueza de informações, que quanto maior, mais irá colaborar para a especificidade da meta e, consequentemente, para sua compreensão.


Ademais, as metas precisam ser mensuráveis (measurable), ou seja, devem ser passíveis de medição para verificação. Nesse ponto é importante termos os indicadores, ou seja, aquilo que indicará a efetividade da meta, se está sendo alcançada ou não. Peguemos como exemplo o objetivo de “Aumentar em 30% o resultado financeiro da organização em 6 anos”, utilizado anteriormente. Nesse caso o indicador pode ser o saldo em caixa da organização, o qual pode ser verificado através do fluxo de caixa.


Outro ponto é a inatingibilidade (attainable) e a relevância (relevant) das metas. O ideal é que as metas sejam desafiadoras, contudo, passíveis de acontecerem, caso contrário o resultado será uma equipe desmotivada, afinal, qual o sentido de impor esforços em prol de algo impossível?


Por fim, temos a temporalidade (time based), que é a necessidade de estabelecer um prazo para o cumprimento da meta proposta. Conforme vimos ao abordar os objetivos, esse prazo pode ser curto, médio, ou longo, o importante é estabelece-lo de acordo com a realidade da sua organização. Não adianta colocar um prazo curto quando para alcançar o objetivo é necessário dispor de mais tempo.


O quadro a seguir traz alguns exemplos:


Quadro 1: Objetivos e metas

Fonte: Elaboração própria


Como pode-se perceber, quando estabelecidos os objetivos não há dificuldade com as metas, visto que, se bem descritos, os objetivos atendem ao padrão SMART. Nesse caso, conforme aponta Tavares (2005), basta elencar os indicadores, que irão apontar a efetividade no alcance dos objetivos propostos, para que seja possível verificar o atingimento das metas.


Referências:


BOSSIDY, L.; CHARAN, R. Execução: A disciplina para atingir resultados. 10. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

TAVARES, Mauro Calixta. Gestão estratégica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2005.


10 visualizações

CONTATO

contato@aplconsultores.org     

+55 (31) 99641-1560         

Viçosa, Minas Gerais