Buscar
  • Ingrid Felomensch

PDCA: Uma Ferramenta de promoção de melhoria contínua


Fonte: Periard (2011)

O aumento da produtividade e da eficiência são temas bastante presentes no ambiente organizacional, uma vez que são fatores que contribuem para o sucesso das empresas. Para tanto, tornam-se necessárias expertises gerenciais que possibilitam tomadas de decisões mais eficazes dentro das organizações.

Uma das formas de aprimorar a produtividade e a eficiência das empresas consiste na realização do controle eficiente dos processos, garantindo menor variabilidade, redução de erros e desperdícios, redução de tempo e custo e, consequentemente, maior satisfação dos stakeholders.


Nesse contexto, o método PDCA representa uma ferramenta muito utilizada por empresas do mundo inteiro e tem como princípio a melhoria contínua, pois possibilita a identificação e correção de problemas dentro de um processo de negócio, tornando-o mais ágil, claro e objetivo. Representado por um ciclo de quatro etapas (Planejamento, Execução, Verificação e Atuação Corretiva) o PDCA é uma ferramenta da gestão de processos que busca a padronização, ao manter os processos dentro da normalidade e com os resultados esperados. Veja todas as etapas do ciclo PDCA e quais ferramentas da qualidade podem ser utilizadas em cada uma delas:


Planejamento (P): Essa etapa consiste em estabelecer metas e o caminho para alcançá-las. No primeiro momento do planejamento é importante a identificação de problemas nos processos e, à posteriori, deve ser elaborado um plano de ação consistente para o alcance da melhoria desejada.


Dentre algumas ferramentas para a identificação de problemas temos o Diagrama de Pareto, o Diagrama de Ishikawa e o método de . Já para a elaboração do plano de ação, o mais recomendável é utilizar a metodologia do 5W2H, que discrimina o plano de ação em 7 etapas:


1. O que? (Descrição da atividade)


2. Por que? (Descrição da necessidade da atividade)


3. Quando? (Prazo para a execução da atividade)


4. Onde? (Local de realização da atividade)


5. Quem? (Responsável pela entrega da atividade)


6. Como? (Descrição dos procedimentos para a execução da atividade)


7. Quanto? (Custos referentes à execução da atividade, se existirem)


  • Execução (D): Compete em executar as tarefas exatamente como foi previsto na etapa de planejamento e coletar dados que serão utilizados na próxima etapa de verificação do processo. Na etapa de execução são essenciais atividades de educação e treinamento. Assim, torna-se comum a realização de capacitações técnicas e gerenciais para todos os níveis da organização.


  • Verificação (C): A partir dos dados coletados na execução, a verificação consiste em comparar o resultado alcançado com a meta planejada. Podem ser utilizadas planilhas dinâmicas e ferramentas da estatística descritiva para uma melhor comparação dos resultados.


  • Atuação corretiva (A): Etapa que consiste em atuar no processo em função dos resultados obtidos, adotando como padrão o plano proposto, caso a meta tenha sido atingida, ou agindo sobre as causas do não atingimento da meta, caso o plano não tenha sido efetivo. Assim, se os resultados não estiverem de acordo com o desejado, é necessário a elaboração de um novo plano de ação corretivo, que atuará nas causas principais dos problemas que afetaram o não alcance da meta. O ciclo PDCA, nesse caso, se inicia novamente, passando-se pelas 4 etapas, até que o processo em análise esteja desejável.


Seguindo as 4 etapas do PDCA é possível gerenciar os processos e melhorar de forma contínua os resultados da empresa. Como o PDCA é um ciclo, ele deve ser aplicado de forma constante, até que se verifique a padronização dos processos. A partir desse momento, podem ser introduzidas ferramentas do Controle Estatístico da Qualidade, que contribuirão para a manutenção dos resultados dentro dos índices esperados.


630 visualizações

CONTATO

contato@aplconsultores.org     

+55 (31) 99641-1560         

Viçosa, Minas Gerais