Buscar
  • Samilla Nunes Rodrigues

Como realizar um Planejamento Estratégico?


A competitividade está cada vez mais acirrada. Neste cenário torna-se imprescindível um bom Planejamento Estratégico, a fim de garantir que as organizações compreendam o ambiente no qual estão inseridas e tracem objetivos e metas de acordo com a realidade que as cercam.


Desta forma, a finalidade do Planejamento Estratégico é determinar uma direção a ser seguida pela organização. Nesta fase é fundamental identificar fortalezas e fraquezas institucionais, assim como oportunidades e ameaças no ambiente externo, para nortear a definição dos objetivos, metas e, por fim, o plano de ações.


Para realização do Planejamento Estratégico você deve seguir algumas etapas, conforme apresentado a seguir:


1. Definição do Negócio, Visão, Missão e Valores:


Neste primeiro momento a organização deve definir o seu negócio, ou seja, o que irá gerar de benefícios aos seus clientes, com base em suas demandas. Para nortear essa definição alguns pontos devem ser ponderados, como a descrição dos clientes, os benefícios que procuram e o que será ofertado de valor para os mesmos.


Definido o negócio, os gestores devem pensar na visão, missão e valores institucionais. Tavares (2005), define visão como a forma pela qual a organização pretende ser reconhecida futuramente, em outras palavras, o reconhecimento que ela pretende ter. A missão, por sua vez, é a razão de existir da empresa. Por fim, os valores são os princípios que norteiam o funcionamento da instituição, sendo, portanto, os ideais a serem seguidos por todo o quadro social.


2. Análise Situacional:


Nesta etapa, o foco é na análise do ambiente interno e externo que circunda a organização. Para tanto, sugerimos a Análise SWOT, no português, Matriz FOFA.


A FOFA possibilita a identificação das fortalezas, fraquezas, oportunidades e ameaças. Através dos dados levantados, a organização terá um panorama geral do ambiente no qual está inserida, podendo utilizar-se das informações dispostas na Matriz para examinar suas potencialidades e gargalos.


3. Elaboração dos Objetivos:


Em termos gerais, os objetivos são os fins que se almeja alcançar. Lobato et al (2009), afirmam que os mesmos podem ser classificados de três maneiras: natureza, prazo e forma.


A natureza pode ser geral ou específica. O geral refere-se aos objetivos que abrangem toda a organização, os quais embasam os objetivos dos subsetores e áreas da empresa, sendo estes os específicos.


O prazo, por sua vez, concerne aos objetivos de curto, médio e longo prazo. O primeiro compete àqueles inferiores a um ano. O segundo abrange o espaço entre um a cinco anos. O terceiro, por fim, são os compreendidos nos períodos superiores a cinco anos.


Com relação a forma, estas podem ser quantitativas ou qualitativas. Os objetivos quantitativos são quantificáveis, como, por exemplo, aumentar a produção em 5%. A parte qualitativa está trelada a fatores subjetivos, que são de difícil mensuração, como melhorar a qualidade do atendimento.


4. Elaboração das Metas:


As metas podem ser compreendidas como objetivos descritos de forma quantificada e temporal. Por exemplo, o objetivo de determinada organização é aumentar a produção em 5%. A meta para tal objetivo poderia ser aumentar a produção em 5% nos próximos 3 meses.


Para o estabelecimento das metas é imprescindível descreve-las de forma clara, objetiva, mensurável e alcançável. Ademais, é importante que as mesmas sejam o mais assertivas possível, pois irão embasar o plano de ação, o qual está descrito no tópico a seguir.


5. Plano de Ação:


O plano de ação possibilita o desdobramento das metas e objetivos estratégicos em ações, servindo como referência às decisões e permitindo o acompanhamento da gestão estratégica. Para identificar os elementos necessários à implementação, o plano de ação pode ser estruturado pela ferramenta 5W2H.


O 5W2H é um checklist de atividades, prazos e responsabilidades que devem ser desenvolvidas com o máximo de clareza e eficiência. A metodologia parte do pressuposto que, definidos os itens do checklist, tem-se uma maior probabilidade de implementação e execução efetiva do plano de ação.


6. Avaliação e Controle:


Por fim, deve-se fazer a Avaliação e o Controle das ações estabelecidas para verificar a execução do proposto no planejamento, assim como o cumprimento das metas.


Tavares (2005) coloca a importância dessa etapa ao ressaltar que a mesma possibilita a verificação periódica do que foi planejado, possibilitando a implementação, quando necessário, de ações corretivas em tempo hábil, evitando danos maiores à organização.


É relevante destacar que não existe uma receita para a realização do Planejamento Estratégico. Contudo, a definição do negócio, o conhecimento acerca do ambiente no qual a empresa está inserida, assim como a elaboração dos objetivos e metas, irão nortear na construção de estratégias, podendo gerar vantagens competitivas para a organização.

#Planejamento #Estratégia #Gestão #Empreendedorismo

41 visualizações

CONTATO

contato@aplconsultores.org     

+55 (31) 99641-1560         

Viçosa, Minas Gerais