Buscar
  • Jéssica Ferreira Rohden

Você sabe o que é greenwashing?


O ano começou e decidi comprar uma geladeira nova. A minha, muito antiga, consumia muita energia, e já estava ficando pequena demais para minhas necessidades. Feito: iniciei uma busca na internet por novas geladeiras, e eis que tenho a minha escolhida: a Super Geladeira Amiga da Natureza. Segundo o fabricante, ela gasta um terço da energia elétrica das concorrentes e não emite o terrível CFC, gás que destrói a camada de ozônio. Perfeita! Melhor do que as outras! Será? O uso de CFC já foi proibido há mais de trinta anos e não há nenhum selo confiável neste produto que reconheça sua economia energética.

Este é um exemplo clássico do que chamamos de “Greenwashig” (lavagem verde, em tradução livre do inglês), e que vem crescendo cada vez mais no mercado dentro e fora do Brasil. Este termo se refere a campanhas de marketing que tentam passar uma imagem sustentável para um produto que, muitas vezes, não tem nada de ecologicamente correto ou simplesmente não tem nada de diferente de seus concorrentes. É uma forma de iludir consumidores através do apelo ambiental na busca de angariar mais vendas ou promover um novo produto.

Porém, a falsa propaganda verde pode trazer vários problemas. O primeiro deles é o uso excessivo - e desnecessário - de termos que se referem ao meio ambiente. A princípio parece uma boa tática, entretanto estas ações contribuem para o ceticismo do consumidor em relação às afirmações do produto, gerando desconfiança na marca. Além disso, há cada vez mais órgãos de pesquisa e avaliação de produtos que avaliam as informações do produto, atestando ou não a veracidade de suas informações.

Em países como Canadá, Estados Unidos e Noruega já há leis que visam proteger o consumidor do greenwashing. No caso do Brasil, até o momento não há nenhuma lei específica relacionada ao tema, entretanto uma pesquisa recente organizada pela empresa Market Analisys revela que o Brasil é um dos países que menos usa o greenwashing no mundo.

Então porque discutirmos o assunto?

O Brasil pode ser um dos países que menos pratica greenwashing, mas este fenômeno só tende a crescer cada vez mais, especialmente enquanto não houver regulações específicas no país. É preciso ficar atento enquanto consumidor, porém especialmente enquanto empreendedor. A obtenção de certificações ambientais mais austeras ou a conquista de um mercado sólido pode ser afetada negativamente por estas práticas. Os empreendedores que buscam vender serviços e produtos genuinamente ecológicos devem ter atenção redobrada, para não serem enganados pela falsa propaganda de fornecedores de insumos, passando adiante uma farsa ecológica.

Conheça seu produto da fabricação à decomposição, e venda algo em que você possa confiar. A ética agradece.

Por: Jéssica Ferreira Rohden

Engenheira Florestal

Consultora - APL Capacitação & Consultoria

#Marketing

0 visualização

CONTATO

contato@aplconsultores.org     

+55 (31) 99641-1560         

Viçosa, Minas Gerais